quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Os filhos pagam pelos pais?



Eis que, pesquisando artigos e olhando as versões diferentes da Bíblia, deparei-me com a seguinte questão, com base no estudo de Êxodo, 20:5-6. Eis a tradução comumente usada (grifo meu):


Êxodo 20:5-6 (João Ferreira de Almeida Atualizada)

5 Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.

6 e uso de misericórdia com milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos.

Este trecho, na tradução literal da Bíblia de Young e de acordo com um site da Internet, ensina uma lição bem diferente da que Deus cobra o erro do pai no filho até a terceira ou quarta geração, numa evidente injustiça, pois Deus nunca cobraria a falha de uma pessoa por meio da outra, algo que nem a justiça humana ousaria fazer. Imaginem então Deus, todo Bondade e Justiça, infinitamente superior a suas criaturas, ser menos justo do que elas mesmas.


Eis a tradução de Young (grifo meu):


Exodus 20:5-6 (Young's Literal Translation)


5 Thou dost not bow thyself to them, nor serve them: for I, Jehovah thy God, [am] a zealous God, charging iniquity of fathers on sons, on the third [generation], and on the fourth, of those hating Me,


6 and doing kindness to thousands, of those loving Me and keeping My commands.


A mesma, traduzida do inglês por mim (grifo meu):


5 Não te encurvarás diante delas, nem as servirás: pois eu, Jeová teu Deus, [sou] um Deus zeloso, o qual visita a iniqüidade dos pais nos filhos, na terceira [geração] e na quarta daqueles que Me odeiam.


6 e ajo com bondade para com milhares, dentre os que Me amam e guardam os Meus mandamentos.


Eis, agora, a tradução detalhada do site ao qual me referi acima:


Texto Hebraico Transliterado :


“Lô tishtachavé lahém velô ta’avdem ki anochi Iahvéh eloheichá el kaná pokêd “avôn avôt “ál-banim “ál-shileshim ve’al-ribe’im leshnai.’ossé chéssed laalafim leohavai uleshmerei mitsvotai.”


Tradução Literal :


lô = não

tishtachavé = te prostarás

lahém = para eles

velô = e não

ta’avdem = e os servirás

ki = porque

anochi = eu sou

Iahvéh = nome próprio que significa Deus

eloheichá = teu Deus

el kaná = Deus zeloso

pokêd = visito, para benção ou cobrança

avôn = a iniqüidade, culpa

avôt = pais

al = sobre ou na

banim = os filhos

al-shileshim = sobre / na terceira geração ou netos

ve’al-ribe’im = sobre / na quarta geração ou bisnetos

leshnai = para os que me odeiam

’ossé = faço

chéssed= misericórdia, bondade

laalafim = por milhares de gerações

leohavai = para os que me amam

uleshmerei = e guardam

mitsvotai = os meus mandamentos


Expressão Traduzida Resultante do Original Hebraico :


Não te prostarás diante deles e não os servirás porque Eu, Iahvéh, teu Deus, sou um Deus zeloso, que visito a culpa dos pais sobre os filhos, NA terceira e quarta geração dos que me odeiam, mas que também ajo, com benevolência por milhares de gerações sobre os que me amam e guardam os meus mandamentos.


***

Como se não bastassem estas traduções, o site Search for God’s Word (Busque a Palavra de Deus), que não é espírita, também mostra o original transliterado, tem a seguinte tradução (grifo meu):

5 You shall not worship them or serve them; for I, the LORD your God, am a jealous God, visiting the iniquity of the fathers on the children, on the third and the fourth generations of those who hate Me,

6 but showing lovingkindness to thousands, to those who love Me and keep My commandments.

Ou, traduzindo para o idioma português (minha):

5 Não os adorarás ou os servirás; pois eu, o SENHOR teu Deus, sou um Deus ciumento, que visita a culpa dos pais nos filhos, NA terceira e quarta geração daqueles que ME odeiam,

6 mas que mostra amor a milhares, os quais Me amam e guardam Meus mandamentos.

***

Com isto tudo em mente, vemos que este trecho tem sido alterado para que seja dito “até a terceira e quarta geração”, e não “na terceira e quarta geração”, o que demonstra a tentativa de esconder um conceito e “vender” aos leitores outro, leitores estes que confiam em suas traduções e dizem que as mesmas são a “palavra direta de Deus”, como se tais palavras não fossem produto de uma cultura e de contínuas reescritas, traduções e adaptações, haja vista o caráter rudimentar e antigo das escrituras.


Quando, pois, se diz “até”, o leitor entende, logicamente, que desde a primeira geração (pais) os homens sofrem os erros, punindo-se, neste caso, pais, filhos, e seus descendentes.


Quando se diz, como fala no original, “na”, a lógica é outra: como não posso ser filho de mim mesmo (segunda geração), é a partir dos filhos dos meus filhos e netos deles que será feita a cobrança, logo, seguindo a lei do renascimento, reencarnação ou, Guilgul Neshamot, a o conceito de transmigração das almas seguido por todos os judeus mesmo antes do Cristianismo, pagaremos ao voltarmos à Terra, como filhos ou netos de nossos filhos, isto é, na terceira ou quarta geração, tudo aquilo que fizemos de errado na primeira.


Para aqueles que não concordam, peço que Deus os abençoe e abra-lhes os olhos, pois dizer que algo está na tua Bíblia e por isso é verdade é a mesma coisa que dizer que só o tradutor desta Bíblia é o verdadeiro, sendo que a única forma de termos uma aproximação do conteúdo verdadeiro das escrituras é a leitura do original, sem preconceitos para “reformar” o texto antigo.


Nem mesmo as modernas traduções de química* são completamente confiáveis, como pude constatar ao trabalhar em um projeto acerca de manuais usados por acadêmicos. Isto não quer dizer que nós, tradutores, não somos confiáveis, mas há tradutores e tradutores, e a imparcialidade completa é um mito.


Com isto em mente, e lembrando igualmente que os primeiros manuscritos da Bíblia foram copiados infinitas vezes, perdidos com o tempo, e as cópias contém alterações por erro ou malícia, devemos procurar pois discernir dos textos a essência, aquilo que não vai, de maneira alguma, contra os atributos infinitos de Deus: bondade, justiça, enfim, todo perfeito e infinitamente superior ao homem, sua criatura.


* E, provavelmente, de outros campos de conhecimento.

Um comentário:

Hermínio disse...

também vou add o seu, que parece muito bom, como vc add o Inagata
=)